Cultura

Carta aberta ao padre Paulo Ricardo da Diocese de Cuiabá

Comentários (3)
  1. moderador disse:

    Olá Toninho Kalunga.

    Li sua carta ao padre. Você aprendeu a relativizar muito bem, sabe dar “tapa de luva”, mas precisa aprender a perdoar quem não pensa como você. O padre, eu, você, qualquer um que seja, não tem a resposta para o drama da humanidade. Você parece ter um coração solidário com a causa dos mais pobres, experiência com os necessitados e até boa vontade em ajudá-los, mas será que está ajudando os mais carentes ao perder seu tempo “dissecando” o padre?

    Eu li seu texto inteiro, achei muito criativo, meus parabéns pela criatividade. Com esse texto você se tornou uma pessoa melhor? Eu me tornei melhor ao ler? O padre se ler vai se tornar alguém melhor? Então, você pode ter agradado os inimigos do padre, mas dificilmente agradou os amigos de Deus.

    Não que o padre esteja certo, mas você só mostrou que nossa realidade como Igreja está cada dia mais distante do Evangelho, seja como for, você está contribuindo juntamente com o padre para “engrossar o caldo” das contendas. Fico imaginando o quanto você deve ter se sentido bem depois de ter vomitado tudo que queria, talvez você releia seu texto e se orgulhe de ter defendido sua visão “libertadora” da fé.

    Deixo aqui meu comentário, não com o mesmo cinismo que você usou, mas com outro que reflete mais sobre a insignificância de nossas vidas diante do contexto difícil que estamos atravessando, em que somos arrastados pelas paixões mais perversas acreditando que estamos dando o melhor que temos ou lutando pelos nossos ideais. Militando seja a favor de Deus ou a favor de si mesmo, seja a favor do pobre ou a favor da vida, estamos cada dia mais perseguidos pelas vãs esperanças, agarrados aos próprios traumas e desejosos de termos qualquer notoriedade que seja, nem que ela venha através de um disparate.

    “Deixemos de coisas, cuidemos da vida
    Senão chega a morte ou coisa parecida
    E nos arrasta moço sem ter visto a vida.” (Belchior)

    Rezemos pela inocência de nossas crianças.

  2. Artur Wilf disse:

    Quando no texto aparece o termo “extrema direita” já se conclui da onde você vem e está. Parei de ler ali. Desrespeitoso e cínico em relação a um Padre que você não tem condições cognitivas de amarrar o cordão do sapato.

  3. Isabel Sousa disse:

    MODERADOR & ARTUR WILF
    Comentários … Excelentes

    Ao irmão Toninho Kalunga deixo aqui uma publicação do tao amado e querido Padre Paulo Ricardo no ano 2017
    https://padrepauloricardo.org/blog/uma-das-enciclicas-mais-corajosas-ja-escritas-por-um-papa

Deixe uma resposta